Rancor não é para empreendedores

Por | fevereiro 13, 2015

Sabe aquele trabalho que você desenvolveu por alguns meses e ao entregar para o contratante, ele te informa que está passando por um momento sensível e que não vai poder lher pagar.

No primeiro momento, você engole seco, pois lembra dos profissionais envolvidos, alguns possuem filhos, outros pagam a universidade com o recurso da sua empresa.

Nós empreendedores temos uma responsabilidade enorme e enganam-se aqueles que pensam que os donos só se importam com o lucro, pelo menos os empreendedores que conheço em sua maioria estão muito mais preocupados em criar um ambiente agradável para que seus colaboradores possam ser felizes e com isso se tornarem mais produtivos, pois uma empresa é feita por pessoas e nada melhor do que ter pessoas engajadas envolvidas.

Mas o que fazer quando recebemos a notícia de que os contratantes não irão efetuar o pagamento?

Podemos dar uma porrada na mesa, chamar o cara de moleque, levar o caso para a justiça, já que você tem um contrato, mas essas seriam uma boa saída para resolver esse problema….?

Enfim, são várias as formas de responder a esse tipo de situação, mas se a empresa não for pilantra e você conhece o trabalho da pessoa, a melhor forma é tentar ajuda-lo, indicando clientes que possam dar um faturamento extra, permitindo que o seu contratante possa pagar o valor devido o mais rápido.

Mas e se o cara quebrou e ficou lhe devendo? Lembre-se, você tem créditos com ele, negocie, talvez ele possa indicar algumas empresas e o comissionamento poderá ser usado para ir quitando a dívida.

Ele também poderá trabalhar para você algum tempo, colaborando com suas iniciativas e parte do salário poderá ser utilizado para abatimento do valor da dívida.

Sei que é muito difícil chegar a esse grau de maturidade, pois é necessário trabalhar muito a sua <a href=”http://outboxidea.net/inteligencia-emocional/” target=”_blank”>inteligência emocional</a>, que inclusive é um dos meus artigos anteriores.

Tudo se resume a débitos e créditos, tire o fator emocional, não vai adiantar brigar e guardar rancor, imagine que essa pessoa poderá dar a volta por cima e vai se lembrar de como você a tratou quando estava passando por momentos difíceis, tenha em mente que um dia a sua empresa também poderá passar por momentos difíceis e seria ótimo contar com a compreensão de todos, não seria?

Temos muitos dias para passar aqui na terra e quando você guarda rancor isso não faz bem para a saúde e nem para os negócios, imagine você ficar evitando eventos, restaurantes, tudo porque você sabe que aquele desafeto pode estar presente.

Claro, você vai encontrar pilantras pelo caminho, mas mesmo assim são pessoas, cumprimente-as, apenas evite fazer negócios novamente, se em algum momento tiver que trabalhar com elas, encare isso de forma profissional e seja cauteloso.

Não saia falando mal por aí, pois as vezes aquela pessoa teve uma atitude não condizente por estar sobre pressão, o contratante em um momento de nervosismo pede até para você tomar as providências legais que quiser, pois não tem dinheiro, enfim, ele está passando por um momento difícil, exercite seu poder de autotranscendência.

Ninguém quer ficar devendo, tenha isso em mente, tire a variável emoção da equação, pois as pessoas que escutam você falando mal podem imaginar que serão o próximo alvo quando tiverem algum atrito pessoal ou profissional com você.

Pessoas erram e tem o direito de se retratarem, muitas inclusive por falta de maturidade não conseguem assumir seus erros diretamente e crescerem com eles, mas isso acontecerá algum dia, quando estiverem com sua inteligência emocional  mais desenvolvida.

Cabe a você empreendedor entender todo o cenário e saber tirar o melhor proveito da situação, trabalhando todo seu potêncial de negociador.

Negocie sempre!

Autoria: Wagner Marcelo

www.fb.com/wagner3m

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked.